17 de junho de 2009

Tremendão guitarreiro

Ninguém entende do assunto tanto quanto ele no Brasil. Por isto o nome de Rock’n’ Roll, que para os outros seria pretensão, cai bem ao novo trabalho de Erasmo Carlos. Na contramão dos seus contemporâneos, o Tremendão comemora 49 anos de carreira - um a menos que Roberto - abrindo mão do eterno revival com um álbum de 12 faixas inéditas, todas disponibilizadas na internet.

As intenções de Erasmo, explícitas no título, ficam claras logo aos primeiros acordes. Liminha pilota uma guitarra no talo como há muito tempo não se ouvia num disco do cantor. Nada que se compare a Carlos, Erasmo (1971), Projeto Salva Terra (1974) e Banda dos Contentes (1976), pontos altos de uma carreira frequentemente subestimada. Mas ainda um sinal de que o compositor não esgotou sua capacidade.

Na era das mulheres fruta, Erasmo compara o sexo oposto com uma guitarra (A Guitarra é uma Mulher). Em tom confessional (Vozes da Solidão), canta o vazio deixado pela morte da esposa Narinha. Há espaço até para o ativismo ecológico, moda entre alguns roqueiros da sua época, porém sem pieguice (Mar Vermelho). E uma lista enorme de musas, embalada por uma melodia irresistível (Olhos de Mangá).

Rock’n’ Roll foi composto por Erasmo na companhia de alguns parceiros novos e outros nem tanto (Nelson Motta, Nando Reis e Chico Amaral). Nem sinal do coautor de sua quase toda sua discografia – o Rei –, com quem o Tremendão pouco tem conversado nos últimos anos. No próximo encontro, quem sabe, ele convença Roberto a cair no rock novamente.

Ouça Rock'n' Roll aqui

2 comentários:

CANTORAS INTERNACIONAIS disse...

Saudade mesmo dos rocks bem feitos do tempo da Jovem Guarda. Espero que o Erasmo resgate isso e "ensine" um pouco de música pra molecada.

Parabéns pelo seu blog.

Andreia disse...

Concordo plenamente com o comentário acima. Saudades das boas músicas, da Jovem Guarda, estes sim sabiam fazer rocks notáveis, tão diferente das músicas que ouvimos hoje em dia. Pergunto-me porque a televisão não se importa em divulgar tais nobres cantores, pois sei que muitos jovens apreciam também.
Abraços!