31 de maio de 2009

Bossa nova pré-reinado – RC 50 anos (parte I)

A onda em 1959 era cantar bossa nova. O Brasil que ainda comemorava o primeiro título mundial e surfava no otimismo dos anos JK viu nascer com assombro um novo ritmo do violão de João Gilberto. Nesta época, o futuro Rei era um crooner desacreditado e de pouco prestígio no Rio de Janeiro.

Não por coincidência, a bossa nova e Roberto Carlos completam 50 anos de sucesso em 2009. Foi inspirado no embalo então recém-surgido que o cantor começou a carreira, esmerando-se num “fiozinho de voz” para imitar Gilberto. Na época, ganhava nove cruzeiros por noite cantando de terça-feira a domingo em Copacabana.

Foi neste ano que Roberto gravou o primeiro compacto pela Polydor, com as músicas João e Maria e Fora do Tom. A segunda, aliás, resume bem como ia a sua carreira naquele momento. E não apenas pelo título. Convenhamos que falar em desafinação e “peixinhos” após a estreia de JG, no mesmo ano, não era tão original.
Se nos 50 anos de carreira RC e seus fãs têm motivos de sobre para comemorar, certamente este primeiro compacto não está entre eles. Foi um fracasso comercial. As duas composições, assinadas por Carlos Imperial, eram fracas e renderam ao futuro Rei um período sem pisar no estúdio. O lançamento seguinte, Louco Por Você, só ocorreria dois anos depois.

Pelo bem ou pelo mal, João e Maria/Fora do Tom é o ponto de partida para uma das carreiras mais brilhantes da música brasileira. Por isto 2009 é um ano de festa. As comemorações pelos 50 anos nos palcos começaram em abril com uma apresentação histórica na cidade natal do cantor, Cachoeiro do Itapemirim (ES).

A turnê do cinquentenário percorre 20 cidades brasileiras. No repertório, por motivos óbvios, não há nem João e Maria, nem Fora do Tom. Felizmente, o Rei viria a descobrir o seu caminho longe da bossa nova. Afinal, João Gilberto só existe um. Roberto Carlos também.

4 comentários:

Canto do Lufa disse...

Ambos são lendas vivas!

Do Roberto só gosto da Jovem Guarda.

João Gilberto eu adoro por completo!

Também gosto muito de Chico, Caetano e Gil!

Ingrid disse...

Adoro os dois. As músicas antigas tem um "tom" especial, acho que isso se deve a hoje a internet ter aberto um leque de oportunidades e muita gente boa e ruim estarem se misturando, acabamos ouvindo muitas e guardando poucas músicas, mas é muito difícil no meio de tanta gente se criar artistas e obras como estas de antigamente. Adorei a homenagem na globo, acabei de ver. Beijoos!

Lidianne Andrade disse...

bem legal a sua lembrança
abs

CAC disse...

Lembranças legais, Roberto tem uma historia muito legal, seu blog é muito bom, um abraço e que Deus te ilumine.