21 de agosto de 2009

Toca Rauuul!

Nem morto Raul Seixas sossega. Vinte anos após a sua morte, os fãs brasileiros puderam desfrutar de uma música inédita (Gospel) e agora aguardam com ansiedade o documentário O Início, o Fim e o Meio, previsto para dezembro. Isso sem contar uma nova biografia (que está a caminho) e o relançamento de alguns dos seus álbuns em edições especiais, com raridades e versões alternativas.

Há quem não tenha gostado do arranjo de Gospel, a recém-descoberta música que Raul Seixas compôs em 1974. Mas o mais estranho é que a sua letra aparentemente inofensiva, embalada por um country acústico, tenha despertado a ira dos militares, que a censuraram. Versos como "por que eu tenho caneta e não consigo escrever" parecem ter irritado a ditadura.

O lançamento mais aguardado, no entanto, é o filme sobre a vida do cantor. Dirigida por Walter Carvalho e Evaldo Mocarzel, a obra traz à tona algumas pérolas, como apresentações ao vivo registradas em película e guardadas há 33 anos por Nelson Motta. Enfim, 2009 tornou-se um ano inesquecível para quem não cansa de gritar “toca Rauuul!”.

5 comentários:

Itamar (japa) disse...

pois é o icone do rock nacional, tinha um amigo meu q tinha um autografo dele em um papel higienico, hahah o cara é imortal!!!!

vamos esperar ao documentario, o video eu queria ver mas minha conexão (da tim) ta um lixo...volto uma outra hora pra ver!!!

abraço!

http://locomundojapa.blogspot.com

JuANiTo disse...

Boa Noite!
Me amarrei no blog!
Muito esse post sobre o Raul.
Perdi o Fantástico e acabei não ouvindo essa música inédita.
Vou indicar este blog lá no Sentimento Mediano. Informações de maneira objetiva e simples. Como tem q ser hoje em dia.
Parabéns! Abraço!

Marcio Souza disse...

Raul Seixas é tão bom, que até gospel ele fica bacana.

Rodrigo disse...

Sobre o verso "por que eu tenho caneta e não consigo escrever"... de Gospel, é "tão Raul" que permanece viva como ele, tanto que serve até aos nossos atuais dias. Não há mais ditadura explícita, mas muitas vezes somos censurados a não escrever o que os outros querem ler (ver... ouvir...) por simples imposições sem critério de quem não evoluiu, como se ainda vivesse na década de 70!

Alex Cassol disse...

Viva a sociedade alternativa!!!