12 de março de 2009

Farto do rock and roll

Do homem que é considerado o avô do punk podia se esperar tudo, menos um disco de jazz. Pois foi exatamente o que Iggy Pop fez. Com influências de Louis Armstrong e Jelly Roll Morton, o álbum Preliminaires deve chegar às lojas da Europa em maio – uma prova de que Iggy é mesmo imprevisível.

No ano em que o debut dos Stooges completa quatro décadas, o cantor mesclou o jazz com a inspiração literária. A Possibilidade de uma Ilha, obra de Michel Houellebecq, é o seu livro de cabeceira do momento. “Na minha mente, estas seriam as músicas que ouço em minha alma quando leio o livro”, justificou Iggy, hoje com 61 anos.

O precursor do punk disse estar “enjoado de ouvir idiotas com guitarras, tocando lixo musical”. Será que estava referindo-se ao último álbum dos Stooges? É possível, já que The Weirdness, lançado em 2007, é apenas uma caricatura de uma das grandes bandas do rock. Se for para melhor, que venha o jazz.