6 de junho de 2008

Nada está perdido

O primeiro desafio na carreira dos Fratellis foi superar as comparações com Arctic Monkeys, Libertines, Strokes, Meat Puppets e, ufa!, Smiths. Eles tiraram de letra. A segunda etapa rumo ao sucesso era muito mais traiçoeira: lançar um sucessor do excelente Costello Music (2006) que estivesse à altura do disco de estréia. Here We Stand, porém, que chega às lojas nesta segunda-feira, pode decepcionar muitos dos fãs conquistados com o debut da banda escocesa.

Motivo para pânico? Felizmente, não. Se, por um lado, os Fratellis não fizeram um Costello Music 2, por outro, Here We Stand conta com um punhado de boas canções. Tell Me a Lie é rock de arena. Lupe Brown, com seu riff sônico e melodia estilo britpop, já conquistou os fãs. Acid Jazz Singer começa deliciosamente country e recupera a irreverência que tornou os Fratellis conhecidos mundialmente. A balada Milk and Money, ao piano, foge do script e os escoceses fecham o disco revelando sua admiração por Paul McCartney.

O risco é que os "irmãos" Jon, Mince e Barry Fratelli passem a levar a história a sério demais. Desde que surgiu, a banda escocesa se notabilizou por defender, com seus riffs e refrões, o princípio básico do rock: a diversão. E fez isso sem cair no saudosismo barato. Algo como se Monkeys e Libs fossem uma banda só, mas nos anos 80. O verdadeiro espírito dos Fratellis pode ser resumido na frase de Jon sobre seu projeto solo, que deve sair até o final do ano. "Não é nada demais, apenas algo para me manter ocupado." Desse espírito depende o futuro dos Fratellis.

Um comentário:

Raquel disse...

o BLOG é o melhor curriculo da atualidade.. o seu blog sobre as "leituras musicais" deixa claro o quanto sua habilidade e vocação está cada vez mais sendo aprimorada.
Te admiro e tenho orgulho em ver como faz tudo com muito gosto.
bjs
(não tenho como comentar sobre as bandas, etc, pois eu não tenho entendimento sobre isso, sei ou tento saber é de vc)